A credibilidade e o princípio da confiança nas instituições é algo fulcral para o equilíbrio de uma sociedade nas suas vertentes mais diversas. Muitos são os fatores que podem determinar a confiança ou desconfiança dos cidadãos em relação às instituições políticas que os representam, desde o governo local até ao Parlamento Europeu.

Portugal é um dos países que mais confia na União Europeia e que tem uma visão mais otimista em relação ao futuro desta instituição. Nas instituições nacionais, os números não são tão positivos, mas, ainda assim, são superiores às médias dos países da zona Euro. Portugal afigura-se, contudo, como um dos países com níveis mais baixos de envolvimento dos cidadãos nos assuntos políticos.

O que significa a (des)confiança nas instituições políticas? Será a desconfiança um sinal de sofisticação ou de desinformação e desinteresse políticos? Quais as estratégias que podem ser adotadas pelas instituições para aumentarem a sua credibilidade perante os cidadãos? E quando é que se revela necessário realizar reformas?

É sobre este assunto que Ana Maria Belchior se debruça, procurando dados, associações, indicadores e contributos para a desconfiança política. Ana Maria Belchior é doutorada em Ciência Política pelo Instituto de Estudos Políticos da UCP e professora auxiliar do ISCTE-IUL, investigando temas como representação política, perceções políticas e atitudes e comportamentos dos eleitores.

 

 

Confiança nas Instituições Políticas

  •  
  • Autor: Ana Maria Belchior
  • Ano: 2015
  • Editor: Fundação Francisco Manuel dos Santos
  • Código: QFP17/068 
  •  
Ver no Catálogo UP

Esta obra pertence à Coleção Humanista do Quórum – Fórum Político e encontra-se exposta para consulta na Biblioteca da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.