Geopolítica para Totós: Afeganistão

A saída das tropas americanas do Afeganistão, finalizada no dia 11 de Setembro, trouxe novamente para as notícias os acontecimentos geopolíticos deste país. (…) Ver mais ≫

Workshop Literacia Europeia

Fundada em 1958 por seis países, a Comunidade Económica Europeia (CEE), que em 1993 se tornou a União Europeia (UE), tinha inicialmente objetivos exclusivamente económicos. Entretanto, com a adesão de mais 22 países, a UE foi evoluindo,(…) Ver mais ≫

Mulher e Ciência: de Objeto a Líder

A luta pela igualdade de género não é uma batalha recente, tendo assumido um destaque cada vez maior na praça pública. De facto, alguns dos ideais já se materializaram em legislação em alguns países, enquanto outros parecem distantes, o que realça a importância e atualidade desta longa caminhada. Ver mais ≫

Estado da Nação: Presidenciais e Presidência do Conselho Europeu

2021 é um ano que vai marcar politicamente Portugal. Em Janeiro é eleito o Chefe de Estado Português, numa altura em que as incertezas sobre a estabilidade política e económica do nosso país se adensam e na qual se discute o papel que o/a (novo/a) Presidente da República terá na fase de transição pós-pandemia… Ver mais ≫

Páginas da História - Guerra das Coreias

Ligeiramente adaptado, o paralelo 38 rasga a península da Coreia e surge-nos como uma ferida que o Tempo ou os Homens não souberam cicatrizar, numa região relativamente pequena, onde os dois blocos mundiais e antagónicos vieram convergir, mudando para sempre o cenário geopolítico asiático e mundial. Ver mais ≫

Atualidade

Segue-nos no Facebook

Cinema à Moda de Jackie Chan

Nuno Dias

"Por isso da próxima vez que vires uma cena de ação, talvez acabes por apreciar mais quando ela não é feita às três pancadas."

Nos capítulos que escreves

Beatriz Lourenço

"E lembra-te que no caos,
Por entre vocábulos e rasuras,
És tu o poeta pioneiro
A narrar por mãos imaturas
O teu futuro derradeiro."

Viver depois de morrer.

Ana Moitinho

“Quero viver no mundo,
De todos e no teu.

A posteriori

Enquanto estudante de Medicina, procurei sempre estar a par do “mundo lá fora”, porque entendo que ser médico é, em primeiro lugar, ser cidadão e ser humano. Anos mais tarde, é uma satisfação enorme encontrar um projecto como o Quórum que procura cumprir o pensamento de Abel Salazar: “o médico que só sabe medicina, nem de medicina sabe”. Parabéns a quem organiza este projecto e obrigado por me convidarem para participar, por via digital, num debate sobre um tema tão atual (eutanásia), em tempos de pandemia.

Doutor Bruno Maia

Neurologista e Intensivista no Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central. Coordenação do Movimento Cívico “Direito a Morrer com Dignidade”. Co-autor do livro "Morrer com dignidade - a decisão de cada um"

Gostaria, antes de mais, de dizer que apreciei muito a palestra em que participei aqui há uns dias. Felicito-os de novo pela iniciativa.
Quanto ao Quórum, apesar de ter conhecido apenas recentemente, apreciei a capacidade de chamar os estudantes universitários para a discussão dos grandes temas da atualidade, temas que moldarão o futuro comum e que exigem de todos, e também dos estudantes, uma participação ativa e informada.

Prof. Doutor Manuel Fontaine

Diretor da Escola do Porto da Faculdade de Direito - Universidade Católica Portuguesa

Para mim, a participação numa das palestras organizadas pelo Quórum foi gratificante. Fui falar de Geopolítica para Totós, mas encontrei um anfiteatro cheio de futuros médicos interessados nos problemas do mundo. Não encontrei um só Totó!

Prof. Doutor José Milhazes

Comentador Político da SIC, Antena 1 e Observador

Trata-se dum projecto cultural multifacetado, abrangendo diversas áreas culturais, abrangente, destinado a todos os discentes da Universidade.
Há uma participação interessante e activa que demonstra a mais valia deste projecto que deve ser ajudado e acarinhado. Parabéns à equipa organizadora.

Prof. Doutora Elvira Mea

Vice-Presidente do Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto

A iniciativa Quórum Fórum Político é uma experiência muito interessante, pois é uma das raras instâncias de interdisciplinaridade e cruzamento de saberes que conheço na Academia portuguesa e que é patrocinada pelos estudantes. Ela contempla a participação de especialistas e profissionais de prestígio do mundo político, económico e social para debater questões importantes da atualidade. Tive muito gosto em participar por duas vezes como oradora nesta iniciativa. Encontrei um público interessado e preparado para debater questões tão específicas, como a guerra na Síria e o conflito israelo-palestiniano. Num mundo atual, onde a multidisciplinaridade, a especialização e a necessidade de informação e formação são essenciais à prática clínica, este tipo de fora enriquece o currículo dos futuros médicos e reforça a sua dimensão humanista>

Prof. Doutora Maria do Céu Pinto

Directora do Núcleo de Investigação em Ciência Política e Relações Internacionais

Contacta-nos!

11 + 11 =

AEFMUP

Alameda Prof. Hernâni Monteiro, Hospital de S. João, Piso 01, 4200-319 Porto