O ato de sofrer
é contagioso, é como a peste
todos lhe fogem a correr
e ninguém lhe quer a veste.
Verte lá de uma vez
esses miasmas lacrimais…
Dou-te até permissão de seres cortês!
E perguntares rapidamente, “como vais?

Já passou, já passou.
Tudo correrá bem.
O mundo não te desabou
e o teu chorar não me convém…

Sofrimento devia dar licenciatura,
certificado de habilitações,
um acréscimo à formatura
louvores e menções.
Pois quem sofreu, viveu.
E só… não está no mundo.
Estamos todos no mesmo bréu,
apenas ainda não te chegou a penumbra.

Manuel Gonçalves Pinho